Desordem instalada do Deliberativo do Fla.

A desordem impera no conselho deliberativo do Clube de Regatas do Flamengo.

Tudo começou com a convocação para a Assembleia Geral Extraordinária daquele conselho convocada para o dia 01/10/2015.

A ordem do dia contemplava os seguintes itens?

  1. Apreciação e votação da ata da sessão anterior.
  2. Apreciação e votação da proposta de alteração do artigo 50 do Regimento Interno do Conselho Deliberativo, que cuida dos conceitos e ritos necessários para a reforma do Estatuto Social do Clube e do próprio Regimento Interno.
  3. Apreciação e votação da proposta de emenda do Capítulo V do Estatuto relativa à constituição, funcionamento e atribuições do Conselho de Grandes-Beneméritos, o que implica na alteração do inciso VI, do art. 88 e do inciso XIII do art. 125 do Estatuto.
  4. Apreciação e votação da emenda para a reforma dos artigos 2º e 131, inciso XVI do Estatuto Social do Clube.
  5. Autorizar o Conselho Diretor à emissão de 200 (duzentos) novos títulos de sócios proprietários do Clube de Regatas do Flamengo. 

Ocorre que deixaram de incluir os famosos assuntos gerais, item indispensável para que os conselheiros do CRF possam expor suas opiniões e que permite a manutenção da democracia no Flamengo. A omissão deste item faz com que somente os presidentes dos órgãos do clube possam trazer para o conselhos suas questões, limando dos conselheiros a possibilidade de fazer o mesmo.

Para aumentar a desordem e bagunçar ainda mais o Conselho, o Presidente do Conselho Deliberativo e seus dois secretários se esqueceram de fazer a leitura e solicitar a aprovação ou reprovação da ata da sessão anterior, em que pese constar na pauta.

É habito nas AGEs do Conselho Deliberativo do Flamengo que algum conselheiro solicite a dispensa da leitura da ata, vez que a mesma normalmente fica disponível para leitura dias antes da sessão e por isso a leitura tornaria as sessões muito enfadonhas. Mas deixar de votar a aprovação ou reprovação? Isso jamais ocorreu.

A Assembleia transcorreu em clima amistoso e cordial. O item 3 da ordem do dia foi retirado antes mesmo da sessão a pedido do propositor o Presidente do Conselho dos Grande Beneméritos.

Já o item dois foi retirado da pauta por votação da maioria dos conselheiros que entenderam que o texto era equivocado e necessitava de maior debate.

O item 4 foi aprovado por unanimidade pois se limitava a incluir a cultura como um dos objetivos do Flamengo, inclusão esta necessária para a busca de recursos mediante Lei de incentivo a cultura para a construção do Museu.

No item 5, mais um momento de desordem. Após colocar de forma controvertida a proposta, solicitando que apenas os conselheiros favoráveis a proposta levantassem a placa vermelha e esquecendo de requerer que os que seriam contra levantassem a preta, o Presidente do Conselho deliberativo proclamou a aprovação da proposta e tentou encerrar rapidamente a sessão.

Neste momento, um grupo de conselheiros interpelou o ocorrido e tamanha foi a pressão contra a mesa que o Presidente do Conselho cancelou a ordem para encerrar a sessão e determinou a contagem individual dos votos.

O resultado se manteve mela margem de 74 a 77 votos. Uma diferença de simples 3 votos, o que provou que claramente não seria possível mediante inspeção visual identificar a aprovação da medida.

Claramente demonstrado que o Conselho Deliberativo do CRF se encontra em total desordem.