Caso Portuguesa x compra de vaga x CRF.

Para os amigos Rubro-Negros repelirem as levianas acusações do pretensos rivais sobre o caso.

07/12/2013 – Flamengo e Cruzeiro jogaram as 19:00 h.

08/12/2013 – Portuguesa e Grêmio jogaram as 17:00 h.

Supondo que a diretoria Rubro-Negra tenha sido informada do seu erro na escalação do André Santos no fim da partida, ou seja, 21:00 h (melhor dos cenários), esta teria exatas 20 horas para conseguir:

1- Contato com algum dirigente da Lusa com poderes para negociar o rebaixamento;

2- Sacar em especie o valor da propina;

3- Pagar a propina;

Mesmo que aceitemos que fosse possível uma negociação de tamanho risco e complexidade em tão pouco tempo, em que o dirigente se expõe a uma escuta telefônica ou gravação com celular que acabaria com sua carreira, outro fator derruba completamente essa tese esdruxula.

O ultimo treino da Lusa antes da partida do dia 08 foi no sábado pela manhã.

Segundo a agenda do clube, após o treino os atletas almoçaram e se concentraram para o jogo.

O Atleta Héverton ficou concentrado deste as 12:00 h do dia 07/12/2014 no mesmo quarto que o volante William Arão, ou seja,  07 horas antes do Flamengo fazer a bobagem.

Assim, a única possibilidade de o CRF ter sido o responsavel por um suposto suborno da Lusa seria um de seus dirigentes ter construído uma máquina do tempo e voltado no tempo de algum momento após as 21:00h do dia 07/12/2013 para algum momento anterior as 09:00h do mesmo dia para fazer a portuguesa levar o Atleta para o treino e depois concentra-lo.

Se o Flamengo sabia que iria escalar um atleta irregular quando da escalação do atleta da Lusa para a partida e optou por subornar a portuguesa seria como na piada de português que diz assim:

“Vinha um português andando pela rua e ao longe avistou uma casca de banana em seu caminho. Ao invés de desviar da mesma falou: Ora raios já vou eu me esborrachar no chão de novo”

Não seria mais fácil em o Flamengo sabendo que não poderia escalar o jogador (viu a casca de banana) simplesmente não leva-lo (desviar do caminho), eis que já estava matematicamente fora do rebaixamento ao invés de pro para jogar (esborrachar no chão)?